Clareamento dental – Mitos e verdades

01/02/2019

Descubra alguns mitos e verdades sobre o clareamento dental no post de hoje!

Cremes dentais servem como clareadores

Mito. Os cremes dentais clareadores não são capazes de clarear os dentes, apenas removem algumas manchas externas. Isso porque são mais abrasivos, o que também acaba promovendo sensibilidade nos dentes.

O efeito do clareamento não é permanente

Verdade. A única forma dos dentes não voltarem a escurecer e não voltar a usá-los. É natural que os dentes vão escurecendo novamente com o tempo, por isso o ideal é fazer manutenções no clareamento.

Clareadores enfraquecem os dentes

Mito. O clareamento trata-se de uma reação química que age no pigmento que causa o escurecimento dos dentes. Portanto, esse procedimento não é abrasivo e não prejudica a estrutura dos dentes.

Receitas caseiras também clareiam os dentes

Mito. Bicarbonato de sódio, limão, água oxigenada e casca de laranja são apontados como clareadores naturais. No caso da água oxigenada, ela realmente compõe a fórmula para o clareamento dental. Porém, a utilizada na fórmula é de alta concentração e vem com espessante para ficar em forma de gel. A fórmula é aplicada apenas em contato direto com os dentes, não sendo aplicada nas gengivas. A água oxigenada pode causar graves lesões ao entrar em contato direto com tecidos moles (pele, mucosas, lábios, bochecha, gengiva). Por isso, nada de tentar clarear os dentes com técnicas caseiras! Procure a orientação de um dentista.

Apenas uma sessão de clareamento já traz bons resultados

Verdade. Os agentes clareadores estão cada vez mais eficientes, permitindo ótimos resultados já na primeira sessão. Além disso a técnica está cada vez mais rápida e confortável.

Qualquer pessoa pode fazer clareamento

Mito. Existem diversos casos em que o clareamento é contraindicado. Entre eles gestantes, menores de 15 anos (pois ainda estão com o esmalte dos dentes em formação) e quem tem implantes. Além disso, quem sofre de doenças periodontais e alérgicos a componentes da fórmula e pacientes com retração gengival.

O método mais eficiente é o clareamento a laser

Mito. O clareamento a laser pode até clarear os dentes mais rápido, mas seu poder de ação é menor. Ou seja, esse tipo de clareamento dura menos. Além disso, por causar lesões se entrar em contato direto com a gengiva, são usados protetores. E esses protetores acabam recobrindo a parte dos dentes mais próxima às gengivas, deixando uma “auréola” mais escura nessa área.

Quem sofre de gengivite não pode fazer clareamento dental caseiro

Os agentes clareadores presentes na fórmula do clareamento podem provocar desde sangramentos gengivais até abscessos em quem tem gengivite. Então, antes de fazer o clareamento, é importante tratar da gengivite.

Depois do clareamento, o vinho, o café e outros alimentos com corantes fortes não podem mais ser consumidos

Mito. Durante o clareamento, realmente bebidas e alimentos com corantes fortes precisam ser evitados. Essa medida é para evitar que os dentes fiquem manchados, já que estarão com os poros abertos devido ao procedimento. Mas após concluir o tratamento, pode-se voltar a ingerir esses alimentos normalmente.

O clareamento dental caseiro é a técnica mais segura e eficiente

Verdade. Os agentes clareadores utilizados na fórmula do clareamento dental caseiro são mais suaves do que os utilizados em consultório. Com isso, a polpa dentária fica protegida da ação desses elementos. Além disso, os dentes estão seguros das irritações pulpares inflamatórias que podem acontecer em outras técnicas.

Os resultados do clareamento dental caseiro também são melhores, já que conseguem clarear a região próxima às gengivas.

Agora que você já sabe o que é mito e o que é verdade sobre clareamentos dentais, que tal realizar seu clareamento aqui no IBIO? Agende já sua avaliação gratuita e venha nos conhecer, estamos te esperando!

alimentação ácida
atm
bichectomia
botox
buchecha
cirurgia
clareamento dental
clínica de estética
clínica odontologica
cuidados na alimentação
dentição
dentista
dicas
enxerto ósseo
estética
estética buchecha
estética corporal
estética dental
extração de siso
gengiva
idosos
implante dentario
lipo
odontologia
onde fazer implante dentario
ortodontia
osseointegração
papada
pós-operatório
prótese dentária
prótese fixa
prótese móvel
reuperação
saúde
saúde bucal
siso
tratamento de canal
valor implante dentario

Compartilhe esse artigo